Cultura

VIVARIUM FESTIVAL: O HOMEM VERSUS A TECNOLOGIA

O Vivarium Festival está de volta entre 28 e 30 de março. O evento conta com exposições, concertos e workshops em vários pontos da cidade do Porto. Tim Hecker é o artista mais esperado.

Depois do sucesso da primeira edição, o Vivarium compromete-se, mais uma vez, a confrontar a inteligência natural e a artificial e a “refletir sobre o impacto da tecnologia nas artes e na sociedade”.

A edição de 2019 já tem tema: Natural Intelligence, What AI still can’t do? é uma referência a Hubert Lederer Dreyfus, filósofo que se debruçou sobre as questões éticas da inteligência artificial.

O evento pluridisciplinar tem início no dia 28 de março pela manhã, no espaço cultural Maus Hábitos. O Encontro Expressões entre o Som e a Imagem (E-X-S-I), que tem decorrido anualmente desde 2016, é o primeiro momento do festival, contando com a presença de vários académicos e criadores.

No mesmo dia, o Ateneu Comercial do Porto recebe Pedro Prazeres com Velvet Carpet, uma performance sensorial que contempla a dança e a paisagem. Ricardo Dias, músico brasileiro que tocou com Caetano Veloso durante uma década, é o último artista a pisar o palco do Maus na data inaugural, onde se destacam eventos como a exibição de Thoughts on Artificial Intelligence, do Canal 180, ou a apresentação de Picture Generation, exposição de Daniel Pires que “[se apropria] do arquivo fotográfico em película de 2001 a 2011 do Maus Hábitos”.

Durante o segundo dia do festival, os participantes vão ter a oportunidade de praticar “Body-Mind Centering, Tai Chi, Contacto Improvisação, Butoh e Yoga” em Senses Places: Enraizar Para Virtualizar e Performance Participativa em Realidade Mista, workshops com a coreógrafa Isabel Valverde.

O Ateneu Comercial do Porto recebe, nessa mesma noite, Tempus Fugit, um concerto para vozes, corpos e metrónomos concebido por Magna Ferreira, e A Bookmile for Dreamers, um concerto de Elizabeth Brown e Lothar Osterburg que “combina ao vivo teremim, paisagem sonora gravada e vídeo numa meditação sobre livros, leitura, bibliotecas e cultura”. Jung in Jung, artista da Coreia do Sul, estará também presente no Maus Hábitos com a performance Poetic Corner(s).

As festas do último dia começam logo pela madrugada com o Vivarium Clubbing. O evento pretende celebrar o 18º aniversário do Maus, e contará com as já habituais Shuggah Lickurs. Pela tarde, terá lugar na Reitoria do Porto a conferência Criar Conceitos – Seguir Regras, que pretende reconstruir um “diálogo improvável entre [os filósofos] Deleuze e Wittgenstein”.

O sábado termina com a performance Nun on Moon, de Dasniya Sommer, que “explora várias formas de Japanese Rope Bondage” a partir de novas perspetivas. A ela segue-se a apresentação de Stereoboy, o novo projeto pessoal de Luís Salgado.

Tim Hecker é o responsável por finalizar o festival, com o seu tão esperado concerto de música eletrónica abstracionista. Os bilhetes já se encontram à venda e têm um custo de 15 euros. A sala que o acolhe é o auditório do Cinema Passos Manuel, com a capacidade máxima para 150 pessoas.

Mais informações relativas aos espetáculos e horários podem ser encontradas no site oficial do Vivarium.