Cultura

O TEMPO DAS ANAVITÓRIA É AGORA

Depois do de Lisboa, foi a vez de o Coliseu do Porto receber as brasileiras Anavitória. Ontem à noite, a dupla apresentou o seu mais recente álbum O Tempo É Agora. Por Raquel Batista.

A dupla brasileira Anavitória espalhou a sua paz e esperança no dia de amanhã no concerto de ontem à noite, no Coliseu do Porto. Depois do lançamento do primeiro EP, em 2015, apresentaram o seu segundo álbum, O Tempo é Agora, que retrata as histórias de amor sobre as quais decidiram falar.

O concerto iniciou-se ao som da música que dá nome ao álbum e com as cantoras aos tambores, a tocar a dois tempos. A sala de espetáculos estava quase completa e muito silenciosa no início do concerto. Mas, logo de seguida, o público foi acompanhando as letras enquanto as cantoras davam espaço para terminarem os versos.

No início do concerto, Ana, metade das Anavitória, falou do espetáculo que tinham dado no dia anterior, em Lisboa, mas confessou que tem um grande carinho e apreço pela cidade do Porto, por esta ter sido a primeira cidade que ela visitara fora do Brasil. Pediu ainda à plateia que demonstrasse os seus sentimentos e que se divertisse na vida, e prometeu que aquela noite ia ajudar a esse mesmo pedido.

As canções seguiram-se com muita dança nos vestidos flutuantes que as cantoras usaram na noite passada. Com os pés descalços, acompanharam corporalmente as suas letras musicais.

Na sétima canção do alinhamento, subiu ao palco Diogo Piçarra, o cantor português que se juntou para cantar a música que se tornou num dos maiores sucessos musicais no ano passado – “Trevo, que, em 2017, conquistou um Grammy Latino.

As músicas que integram o álbum também descrevem o modo de vida que as cantoras levam, como “a pressa que ninguém deveria ter para estar no mundo”, em “Gente Junto”. O público demonstrava sucessivamente palavras de afeto à banda, composta pelas cantoras e por mais quatro elementos, e acompanhava o ritmo musical das batidas.

A música mereceu repetição por se tratar de uma história de amor vivida por Ana, mas que terminou. Entre o ano de lançamento do álbum, as cantoras fizeram um filme sobre o seu percurso, que explica a história por detrás de cada faixa d’O Tempo é Agora.

Estava previsto terem terminado o concerto como começaram, aos tambores, mas o público pediu mais e as brasileiras acabaram por tocar duas músicas consecutivas: começaram com um cover dos Novos Baianos – “Dê um Rolê”, e terminaram com a “Tempo é Agora”.

Vitória agradeceu ao público aquela noite, com um “fico tão feliz por a nossa música atravessar o Atlântico e ser abraçada assim… Obrigada, Porto.”