Cultura

YOB + WIEGEDOOD: OUR RAW HEART

O regresso dos YOB ao Porto e a apresentação de Our Raw Heart resultaram numa fantástica noite para os amantes de música pesada. A abertura protagonizada por Wiegedood aqueceu a plateia para a receção à banda de Mike Scheidt. Por Francisco Cardoso.

Esgotados os bilhetes há mais de uma semana, era bastante antecipado o regresso dos norte-americanos YOB a Portugal, depois do concerto dado em 2014 no Amplifest. Foi para apresentar o seu mais recente trabalho, Our Raw Heart, que a banda encabeçada por Mike Scheidt passou ontem pelo Hard Club, incluindo a Invicta na sua tour europeia.

Para abrir a fria noite de sábado, os Wiegedood, que têm acompanhado os YOB durante a tour, subiram ao palco e revelaram o lado mais black metal que o Church of Ra – colectivo de artistas belga a que pertencem – tem para apresentar. Apesar de rápida, agressiva e explosiva, a música do trio oriundo de Gent também tem fortes contornos melódicos de blackgaze.

Já a música do grupo de Mike Scheidt desafia adjetivações simples: ela passa pelo doom, explorando o prog metal e o sludge, e ainda roça o black metal. O novo álbum veio trazer ainda mais dúvidas aos fãs que sentem a necessidade de rotular bandas, mas os YOB conseguem escapar a todos os rótulos. Our Raw Heart acrescenta mais mística ao projeto de Oregon, e apresenta uma versão mais melódica da voz do seu fundador.

Problemas de saúde e uma experiência às portas da morte influenciaram a vida de Mike Scheidt e a sua posição musical antes do lançamento do novo trabalho. Mas a sua energia em palco e a alegria na arte que cria não se deturparam. Apresenta-se sempre com vigor e um sorriso desenhado, por saber que o que está a tocar alcança a plateia a níveis mais profundos do que os auditivos. A misticidade e a espiritualidade que a banda evoca nas suas composições torna-os mais do que uma simples banda de metal; há um propósito a descobrir com cada riff e cada break.

Começando com os dois temas iniciais do novo álbum, os YOB arrancaram desde logo o frio do corpo de qualquer espetador presente na Sala 2 do Hard Club. Visitaram-se brevemente os discos The Illusion of Motion, através de “Ball of Motten Lead”, e The Great Cessation, através de “The Lie That is a Sin”, mas o trio regressaria a Our Raw Heart para, com o tema homónimo, proporcionar o momento mais espiritual da noite. Levy Seynaeve, dos Wiegedood, regressaria ao palco para mais um tema, e a atuação terminaria com “Marrow”, de Clearing The Path To Ascend.

Na noite mais fria do mês, foi bastante calorosa a receção do público portuense à banda norte-americana. A resposta foi um excelente concerto e momentos talvez incomuns nas bandas de hoje, com os membros a não se intimidarem e a trocarem umas não tão breves palavras com os fãs da primeira fila.

Setlist YOB:

Ablaze

The Screen

Ball of Motten Lead

The Lie That is a Sin

Our Raw Heart

Grasping Air

Marrow

 

Este artigo é da autoria de Francisco Cardoso.