Cultura

QUEIMA DAS FITAS: ESTUDANTES AQUECEM AO SOM DE CALEMA E JOJO TODYNHO

O Queimódromo encheu-se para receber mais um dia da semana da Queima das Fitas do Porto. Na noite de quarta-feira, marcaram presença em palco Calema e Jojo Todynho, numa noite marcada por ritmos latinos e africanos. Por Carolina Nogueira.

A dupla São Tomense, Calema, sobe ao palco às 23h17. Arrancam o concerto com “Dá-me Dá-me” e o público obedece, correspondendo com aplausos e a cantar. Os artistas confessam que o Porto é uma cidade muito especial, que os acolheu desde o início da sua carreira. No vasto público, não faltaram fãs a acompanhar todas as letras e a gritar pela dupla.

Os cantores questionam depois quem já fez tudo por amor. Os estudantes gritam em êxtase, adivinhando que vem aí a música “Tudo por amor”. A canção romântica deixou todo o público a cantar, enquanto os telemóveis eram erguidos e filmavam o momento.

De seguida, veio uma das músicas mais conhecidas. “Vai” foi um sucesso diante de um Queimódromo que ia enchendo cada vez mais.

Calema apresentaram depois uma versão da música “Mentira” de João Pedro Pais. Os estudantes, muitos de capa traçada, acompanharam, emocionados.

A dupla acabou o concerto com o seu hit “A nossa vez”, em jeito de aquecimento para o concerto que se seguia.

O concerto de Jojo Todynho veio com algum atraso e trouxe a novidade de começar com um Dj set. Os artistas que estavam agendados para atuar na discoteca da Queima passaram funk brasileiro e foram acompanhados de bailarinas no palco, chamando também raparigas do público a dançar.

À 1h30 entra a muito esperada artista brasileira. Jojo Todynho sobe ao palco vagarosamente e começa por retirar o casaco. O público, já ansioso por assistir ao concerto, aplaude e grita. Arranca o concerto com “Sentada Diferente”.

Numa atuação marcada pelo pouco reportório da recém aclamada artista, Jojo arriscou em cantar temas dos seus colegas brasileiros. Na lista dos escolhidos estavam as músicas “Cheguei” de Ludimilla, “KO” e “Todo o dia” de Pablo Vittar e a “Mi Gente” de J Balvin. A grande aposta foi no DJ set que acompanhava a cantora carioca e nas bailarinas presentes em palco.

Cantou o seu sucesso “Que tiro foi esse” por duas vezes, e o Queimódromo saltou ao som do funk brasileiro, com algum do público a ser chamado para dançar. Jojo Todynho confessou ao JUP que o seu hit está a ser muito bem-recebido em Portugal e recordou uma história de que, à chegada ao aeroporto de Lisboa, uma funcionária reconheceu-a e disse que era fã.

O concerto terminou por volta das 2h30 e os estudantes da academia dispersaram pelas barracas do Queimódromo, dando por encerrado mais um dia de concertos na Queima das Fitas do Porto 2018.

Este artigo é da autoria de Carolina Nogueira.