Cultura

QUEIMA DAS FITAS: NOITE “PIMBA” AO SOM DO EXPERIENTE QUIM E DA NOVATA ROSINHA

Quim Barreiros celebra 30 anos de concertos na Queima das Fitas do Porto. Rosinha estreia-se no festival. De acordeão nas mãos, ambos animaram a noite de terça-feira. Por: Diogo Lopes

Em dia de cortejo, o queimódromo vai enchendo pouco a pouco. Em frente do palco, uma multidão espera os concertos desta noite. Gritavam o nome de Rosinha inúmeras vezes, como que a pedir que o concerto começasse o mais cedo possível. Os pedidos são atendidos e Rosinha aparece. O que se seguiu foi uma hora de música “pimba” que não deixou ninguém na plateia permanecer quieto.

A cantora responsável pelos temas “Eu Levo no Pacote” e “Eu Chupo” aproveitou o concerto na Queima das Fitas para estrear as suas músicas mais recentes – “Eu Descasco-lhe a Banana” e “Enguia do Meu Amor”. O público do Porto recebeu bem as novas músicas, dançando e batendo palmas ao ritmo dos temas.

Cada uma das músicas apresentada por Rosinha era antecedida de uma curta história, uma piada cuja punchline era o nome da música. A cantora despertou assim as gargalhadas no público, num concerto que Rosinha descreveu como “simplesmente fantabulástico”.

Depois do concerto, Rosinha revelou ao JUP que esta foi a sua primeira atuação na Queima das Fitas do Porto e que estava um bocado nervosa. “Já tive outras primeiras vezes em outras situações e todas elas um bocadinho enervantes. E esta não foi exceção”. A cantora disse também que o público a surpreendeu pela positiva, com a sua diversão, alegria e simpatia. “Nas festas académicas vocês vão lá simplesmente para se divertir. E estão ali a dar tudo tal como nós no palco. Vocês absorvem-nos.”

Rosinha afirma que tão cedo não vai parar de fazer aquilo que mais gosta e que vai continuar a trazer novas músicas à população portuguesa. “Eu identifico-me bastante com aquilo que faço, amo aquilo que faço e ainda me pagam por cima. O que é que eu posso querer mais? Tenho tudo!” afirmou, soltando uma gargalhada.

Com a despedida de Rosinha, chegou a vez de Quim Barreiros subir ao palco. O público aguardava impacientemente pelo artista que celebra três décadas de concertos na queima das Fitas do Porto. “Faz 30 anos. O meu muito obrigado a todas as direções que têm passado pela FAP” disse Quim Barreiros momentos antes de lhe ser entregue um diploma pela FAP a comemorar os seus 30 anos de presenças na queima.

Quim Barreiros revelou ao JUP que ainda se lembra do seu primeiro concerto na Queima das Fitas do Porto. “As condições eram outras, a aparelhagem era outra. Mas fez-se uma grande festa, estivemos lá cinco horas a tocar.” Quim está ciente da passagem do tempo e, apesar da idade, espera continuar a animar o palco da Queima. “Sabes que a minha idade vai avançando e às vezes de um momento para o outro há uma tosse e acabou o Quim Barreiros. Os anos vão passando. Já não sou menino. Há muitos anos que eu vejo os filhos daqueles que me contrataram pela primeira vez a fazerem Queimas.”

No concerto de Quim Barreiros, que começou ao som da música “O Melhor dia para Casar?”, não faltaram palmas, gritos, dança e animação. Os temas mais famosos como “A Cabritinha”, “Mestre da Culinária” ou “Bacalhau à Portuguesa” também marcaram presença. Não faltaram os festejos ao Porto, tanto à cidade que o recebe há 30 anos e ao clube que recentemente foi campeão.

Não só de músicas originais foi preenchido o concerto. Quim Barreiros aproveitou alguns momentos da noite para cantar temas populares como o “Malhão” ou “Eu Ouvi o Passarinho”.

O concerto finaliza com o cantor a dar os parabéns aos finalistas e à organização da FAP e a receber o apreço de um público que bate palmas e canta “E salta Quim! E salta Quim! Allez!”. Quim obedece ao pedido mas rapidamente para, soltando um “Já estou muito velho para saltar.”

Com o término do concerto de Quim Barreiros, terminou também a animação da noite de terça-feira. Na noite seguinte são esperados Jojo Todynho e Calema para animar o palco do queimódromo.