Cultura

AS ARTES JUNTARAM-SE PELO PAULO

O Paulo está a atravessar uma fase delicada a nível de saúde. A população de Murça juntou-se no domingo (21), para participar num sarau solidário que reverteu em favor dele.

O auditório municipal encheu e a alegria não faltou – o grupo do ballet coloriu o palco em pontas de pés e nem a poesia ficou em casa. Das mais pequeninas às mais adultas o ritmo esteve sempre presente – dançaram compassos lentos, outros mais apressados e uma das vezes ao som da harpa, tocada por uma das bailarinas.

A escola de música da Banda Marcial de Murça dividiu a atuação em duas partes – inicialmente o grupo de metais e logo de seguida o grupo de madeiras. Interpretaram temas como Dancing Queen, dos Abba e Beethoven’s 5 Secrets,  que encheram o espírito do concerto.
A Tuna da Universidade Sénior do concelho trouxe aos murcenses, composições típicas de tunas académicas como “Coimbra, Terra de encanto”, que contou com a entoação dos versos por um solista. No entanto surpreenderam a plateia com a sua criatividade – em vez de “Coimbra”, disseram “Murça”, Terra de encanto, e assim foi entoado cântico.
Por fim, o público uniu as vozes ao grupo Coral do agrupamento 1147 de Murça. Os escuteiros, sob o lema sem esperar nada em troca, cantaram entre outras, as músicas “Somos um” da trilogia Rei Leão e “Amar pelos dois” do Salvador Sobral, canção vencedora do Festival da Eurovisão.

Os “Bravos” “ e bis” dispararam no fim do concerto. “Vim pela solidariedade, por um amigo”, dizem as pessoas ao JUP.
Nas palavras do Presidente da Câmara de Murça, José Maria Costa, “Foi uma honra estar aqui hoje”.

No fim, o valor angariado para ajudar Paulo rondou os 3 mil euros.