Cultura

O GÉNIO DE LEONARDO

A Alfândega do Porto acolhe até 31 de julho uma exposição dedicada ao génio pensador e criativo de Leonardo da Vinci, homem das ciências e das artes, considerado um dos maiores génios da humanidade.

Leonardo da Vinci (1452, Anchiano, Itália – 1519, Amboise, França) é reconhecido como o homem que terá tido maior diversidade e profundidade de talentos revelados em várias e tão diferentes áreas como desenho, pintura, arquitetura, urbanismo, música, cenografia, anatomia, ótica, botânica, engenharia hidráulica, engenharia militar, mecânica, física, matemática e astronomia.

Da Vinci não era o único multidisciplinar, pois era convicção que o homem renascentista era completo, quer dizer, instruído em diversas matérias, mas foi sem dúvida ele o mais marcante, o mais abrangente e o revolucionário. O seu domínio torna-se ainda mais espantoso se se tiver em conta que não teve acesso a uma educação privilegiada por ser filho ilegítimo, ficando-lhe fora de alcance as obras em Latim e no Grego Antigo, em que a maioria estavam escritas.

Observador da Natureza e do comportamento humano, o seu conhecimento baseava-se então na experiência empírica, na perceção sensorial da realidade em detrimento dos ideais teológicos ainda dominantes. Além dos estudos teóricos e da observação, realizava experiências onde testava as suas teorias para as comprovar. Considera-se este o início  da ciência moderna.

A maior parte dos seus projetos não foi concretizada em seu tempo de vida, mas restam cerca de 6 mil páginas com estudos e teorias, pensamentos e projetos grandiosos, que nos permitem agora aceder à sua inteligência e imaginação e pôr à prova as suas teorias, com a materialização em protótipos das suas máquinas e sistemas de experimentação.

Leonardo da Vinci: as invenções de um génio é uma exposição lúdico-didática, facultando a compreensão do funcionamento dos mecanismos e a consciencialização da dimensão das invenções, enquanto se navega pelo imaginário de da Vinci.

A exposição tem organização de Paula Paz Dias Ferreira e curadoria de Eduardo Souto de Moura. Os bilhetes custam 9 euros mediante apresentação do cartão de estudante.