PORTO TASTY, O SITE COM SABOR À INVICTA – Jornal Universitário do Porto
Cultura

PORTO TASTY, O SITE COM SABOR À INVICTA

Nove alunos da Universidade do Porto criaram um projeto de divulgação da gastronomia portuense. O JUP esteve à conversa com três integrantes do Porto Tasty de forma a saber como tudo começou e quais as expectativas para o futuro.

O projeto começou dentro de uma sala, quando numa unidade curricular foi lançado o desafio dos alunos criarem uma plataforma digital de forma a promover o Porto como destino gastronómico de excelência.

O Porto Tasty surge, então, da colaboração entre nove alunos de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto que financiaram o projeto desde o início.

Oriundos de várias nacionalidades, a equipa conta com cinco estudantes portugueses e quatro alunos pertencentes ao programa Erasmus: dois de nacionalidade brasileira e outros tantos de nacionalidade espanhola.

À conversa com o JUP, César Castro, Eduardo Ribeiro e Margarida Ribeiro explicam o conceito do projeto.

“Inicialmente, o objetivo passava por escolhermos um público alvo, e mediante esse público alvo teríamos de criar conteúdos que melhor se adaptassem a este”, explica César Castro, um dos criadores de conteúdos da plataforma.

Eduardo Ribeiro diz que hoje as publicações são mais direcionadas para um nicho específico de idades – um público, refere, maioritariamente assíduo. Depois de várias análises, o grupo diz ter-se focado em pessoas “entre os 20 e os 45 anos”, criando “conteúdos de interesse dessas mesmas faixas etárias: em termos de preços e de espaços”, reforça Margarida. “O mais importante aqui é: onde podem comer, onde podem beber?”

As publicações, contudo, são sempre fiéis ao tema, encontrado-se a gastronomia portuense sempre presente: “Por exemplo, nós falámos do aeroporto Francisco de Sá Carneiro, que foi nomeado como o melhor da Europa, mas ao falar disso tivemos de abordar a vertente gastronómica da notícia, falando sobre os restaurantes que as pessoas podem desfrutar estando lá – restaurantes de comida típica portuguesa”, explica Eduardo.

Apesar de ser um cartão-postal para a gastronomia portuense, os elementos da equipa dizem não esquecer os estabelecimentos de bebida, não fossem eles, também locais bastante procurados por quem visita a Invicta.

Entre infografias, listas, fotogalerias, receitas e notícias, os vídeos têm sido um recurso recorrente. César Castro refere que o Porto Tasty quer inovar e que a equipa se esforça para ” que [os textos] não sejam muito extensos e que tenham mais conteúdo visual”. “Temos apostado noutros tipos de formatos, como os vídeos, que têm sido uma aposta constante.”

A equipa refere que faz para que a atualização seja diária, existindo sempre rubricas semanais e/ou quinzenais. Eduardo Ribeiro reforça que o compromisso para com os leitores é grande e que o grupo tenta  “ter sempre em conta que os artigos devem ser publicados diariamente – se não saírem, é por alguma eventualidade”.

“As redes sociais têm sido uma porta de entrada para o nosso blog.”

Um dos outros meios de divulgação do site é o Facebook, que neste momento conta já com mais de 1300 gostos. “É uma das plataformas sociais mais usadas e assim conseguimos, desde logo, atingir uma certa audiência”, explica César Castro que diz que a página no Facebook acaba por beneficiar  o site.

Eduardo refere que esta foi a primeira aposta do grupo nas redes sociais, uma vez que  o projeto não possuía conteúdos próprios que justificassem a criação de uma conta no Instagram.

Hoje têm-na, e Eduardo explica que após uma breve adaptação do site à rede social, “o número de seguidores começou a aumentar e a interação com o nosso Instagram começou também a ser maior: começaram a comentar as nossas fotos e começou a existir uma maior interação”.

Hoje, vêem as redes sociais como uma mais valia para o seu projeto, uma vez que é de lá que a maior parte da sua audiência provém.

“Os nossos colegas de Erasmus acabam por conhecer outras formas de trabalhar e isso acaba por ser uma mais valia.”

Divididos por duas equipas, “uma mais voltada para a para assessoria e marketing e outra com a parte de [criação de] conteúdos”, como explica César Castro, os membros entrevistados dizem ver nesta experiência  uma forma de expandir a sua audiência e de conhecer novos métodos.

“Conseguimos uma parceria no Brasil e começamos a notar que com isto tivemos uma audiência brasileira muito maior”, refere Eduardo Ribeiro que sublinha que o conhecimento dos colegas em relação aos meios de comunicação do seu país se revelam fulcrais, refletindo-se isso na forma de abordagem e e construção de todo o diálogo com o consumidor.

Tendo tido uma grande mediatização por parte dos meios de comunicação nacionais, os estudantes referem que a audiência disparou e que o interesse pelo projeto tem aumentado gradualmente. “Num dia tivemos mais de duas mil visitas”, refere Eduardo que explica não ser uma situação natural. Margarida Ribeiro completa que cada vez mais existe uma taxa de retorno, uma vez que existem “pessoas mais fiéis ao blog que dão cada vez mais feedback”.

Com toda a repercussão do projeto, os estudantes de Ciências da Comunicação não escondem o desejo de continuar com a plataforma mesmo depois do ano letivo terminar. O grande obstáculo, referem serão os estudantes e parceiros de equipa de Erasmus, os quais ao regressarem ao seu país de origem “acaba por se traduzir numa perda”.

Sobre o futuro, César Castro diz que o projeto poderá continuar:”era uma ideia interessante, recomeçá-lo noutros moldes, com outras pessoas… Mas claro que tem de ser pensado”

“Captar, manter e subir audiências” é o principal objetivo dos estudantes. O Porto Tasty conta já com mais de 1300 likes na sua página de Facebook e está disponível em vários idiomas.