Ciência para Todos

Reatores Nucleares

Devido a estarem associados a catástrofes, as vantagens dos reatores nucleares são muitas vezes ignoradas, apesar da necessidade urgente de recorrer a fontes alternativas de energia. Por Joana Silva

Considerado o coração da central nuclear, um reator é um instrumento que permite um controlo minucioso das reações nucleares que geram energia elétrica.

As reações nucleares envolvidas são reações de fissão nuclear em cadeia, isto é, reações onde se dá a divisão de um átomo instável em dois átomos mais leves, através de um bombardeamento de neutrões.

Ilustração de uma reação de fissão nuclear típica. Por MikeRun

Esta reação, para além de resultar nos produtos mencionados anteriormente, produz fotões  e liberta uma grande quantidade de energia.

Num reator nuclear, essa energia é absorvida por uma mistura de vapor de água criada no gerador. O objetivo deste vapor foca-se no funcionamento da turbina, uma vez que é esta que produz a eletricidade que é injetada na rede.

Depois de utilizado, o vapor de água é condensado e transformado de novo em água, para dar continuação à produção de energia elétrica. Normalmente, este tipo de reator poderá variar quanto à forma como produz vapor de água, sendo que se pode tratar de um reator de água pressurizada (PWR) ou de um reator de água a ferver (BWR).

Infográfico acerca do funcionamento de um reator nuclear de água pressurizada (PWR)

Em relação ao reator convencional, um reator nuclear possui várias vantagens. Uma das vantagens mais notável, para além do menor custo de produção, é o menor impacto ambiental. Já que a energia não é produzida através de combustíveis fosseis (que emitem gases com efeito de estufa), mas através de  elementos físseis, como o urânio ou o plutónio.

No entanto, apesar destes reatores serem protegidos por um escudo biológico (feito de betão e aço com vários metros de espessura), a fissão altamente energética poderá constituir um perigo letal para a humanidade, caso se dê o derrame dos vestígios radioativos. Notar que, estes acidentes são cada vez menos comuns, uma vez que as centrais têm reforçado a segurança dos escudos.

Para além disso, é importante notar que a energia elétrica proveniente dos reatores nucleares não é considerada renovável, uma vez que a regeneração dos combustíveis pode levar milhões de anos a ocorrer. Com isto, sabe-se que é criado o chamado “lixo nuclear”, que se não for corretamente armazenado, poderá contaminar o ambiente.

Texto por Joana Silva. Revisto por Maria Teresa Martins.