Ciência e Saúde

ICYA 2018 – AGRICULTURA É INOVAÇÃO

Com a participação de estudantes de todo o Mundo no campus de Vairão da Faculdade de Ciências, entre 19 e 22 de abril, a Conferência Internacional de Agricultura para Jovens (ICYA 2018) colocou as Ciências Agrárias na vanguarda das soluções para a sustentabilidade.

Organizada pela IAAS Porto com a colaboração da IAAS Internacional, a ICYA 2018 tinha como objetivo encontrar soluções na área das Ciências Agrárias para os problemas de sustentabilidade ambiental levantados na maioria das vezes pelos conferencitas convidados. Mais concretamente, através do desenvolvimento de projetos pelos próprios participantes, após formação destes para tal em workshops/ trainings, como, por exemplo, de de caracterização de públicos-alvo ou design de marca.

“De qualquer modo, a qualidade do grupo foi invejável – estudantes/profissionais interessados, dinâmicos, críticos e com vontade de vencer com ideias inovadoras nas apresentações finais.” – Carolina Salcedas, presidente da IAAS Porto.

programa na quinta-feira foi dedicado a quebrar o gelo e aos workshops, enquanto a sexta e o sábado foram dedicados às conferências, sessões de brainstorming e à materialização das ideias dos projectos. Já o domingo foi reservado para a exposição destes e, claro, às despedidas.

As conferências começaram diariamente com um momento de descontração já habitual dos eventos IAAS – um clip do videojogo Just dance! e contaram com a presença de oradores internacionais mas, sobretudo, nacionais. Dos vários tópicos discutidos, as maiores lições surgiram na possibilidade de usar a florestação como um armazém de carbono, e nos perigos de o perder para as alterações climáticas;  na urgência de preservar a biodiversidade dos solos para preservar as suas próprias funções; na possibilidade de promover modos de consumo mais sustentáveis pelo cálculo de índices sobre o impacte ambiental associados à produção, assim como novas maneiras de como os engenheiros agrícolas estão a melhorar a produtividade e qualidade com menor pressão sobre os recursos, nomeadamente a Engenharia Genética ou a Agricultura Hidropónica.

Os projectos foram a parte que estabeleceu a Conferência como um evento de inovação, sendo a primeira aborgadgem as sessões de brainstorming para depois se trabalhar com mais detalhe numa ideia obtida destas. Na parte do brainstorming, foi após o almoço que os estudantes se reuniram no World café para discutir formas concretas de agir nas problemáticas abordadas. Neste, diferentes colaboradores do IAAS moderavam mesas de trabalho com diferentes tópicos e os participantes circulavam entre estas, ouvindo e fazendo propostas até encontrarem uma mesa em que tivessem mais interesse em contribuir. Tudo isto, para depois, na parte do desenvolvimento das ideias, a meio da tarde de sábado, estes se juntarem-se a grupos de trabalho definitivos para preparar uma apresentação com os detalhes de como se poderia implementar essa ideia com sucesso. 

O testemunho dos participantes, com origem em continentes como África, Europa ou as Américas, foi, então, unânime ao considerar a ICYA como um evento bem organizado e muito interessante. Nas palavras de Ryan Jenkins, estudante de Agronomia da Suiça, o ICYA foi uma mais-valia na medida em que “permitiu entrar em contacto e trocar ideias com colegas com um percurso interessante e projectos muito promissores”. Já para Oladeinde Adewale, participante da Nigéria, a presença na ICYA foi importante não só pela oportunidade de networking e brainstorming, mas também “pelo privilégio de ouvir palestras de professores conceituados em tópicos como a agricultura ou as alterações climáticas” e “pela oportunidade extraordinária de ver as paisagens da zona do Porto e provar a comida e vinhos portugueses”.

Por fim, também o balanço final da organização internacional e nacional foi positivo. Para Luis Gandarillas, Vice-presidente da IAAS World para as parcerias externas, a conferência foi muito bem preparada pela IAAS Porto e cumpriu as responsabilidades da associação de dar respostas aos problemas globais, como as alterações climáticas e criar uma plataforma de diálogo entre diferentes nacionalidades. Segundo o mesmo, esta conferência promoveu a cooperação e a formação dos futuros líderes mundiais na agricultura: “Estes futuros líderes serão capazes de melhorar o sector agrícola a uma escala global no futuro” (tradução livre).

Para Carolina Salcedas, a directora da IAAS Porto, mesmo tendo recebido a proposta apenas no início do ano, vários factores contaram para que a conferência fosse bem sucedida. Nomeadamente, a dedicação e motivação da equipa do Porto, o apoio contínuo da direção e dos professores da FCUP e um diálogo produtivo e consistente com a direcção da IAAS World ao longo de 6 reuniões entre janeiro e abril. Mesmo tendo o número de participantes ficado aquém dos objectivos traçados pela IAAS world, “a qualidade do grupo foi invejável – estudantes/profissionais interessados, dinâmicos, críticos e com vontade de vencer com ideias inovadoras nas apresentações finais”.

Para a diretora do IAAS Porto, o que fez da ICYA 2018 um marco na história da IAAS Porto foram os “4 dias de Trainings, Workshops e Palestras; 4 dias de partilha de conhecimento, de experiências, de culturas; 4 dias de trabalho, cooperação, convívio e boa disposição; 4 dias que vão ficar na história da IAAS Porto!”.